O Segredo da Perseverança

Publicado em por Davi Junior

Há muitos anos atrás eu descobri um livro excelente do professor William James chamado On Vital Reserves, onde ele diz que é coisa bastante comum você começar um trabalho, seja ele mental ou físico, e então se sentir cansado. Ele fala também de uma sensação que ocorre quando se está imerso num trabalho e não existe vontade de parar. Tal fenômeno é conhecido como o "segundo fôlego".

A maioria das pessoas para de trabalhar ao primeiro sinal de cansaço: "nossa, já estou esgotado" e pronto, acabou por hoje. "Nos esforçamos o suficiente, agora podemos parar" e então simplesmente desistimos. Esse tipo de fadiga é como se fosse um muro de bloqueio que se levanta no ambiente onde trabalhamos e vivemos nossas vidas.

Mas se por alguma eventual necessidade nós somos forçados a seguir em frente, uma coisa surpreendente acontece. Primeiro a fadiga se intensifica até um ponto crítico, então ela gradualmente ou repentinamente vai embora e por fim nos sentimos mais dispostos do que estávamos antes de começar a tarefa. É justamente nesse momento que conseguimos acesso a um nível de energia que estava até então mascarado pela barreira de fadiga da qual estamos acostumados a rotineiramente obedecer. A realidade é que temos capacidade suficiente para obter acesso ao terceiro e quarto fôlegos.

Esse fenômeno que ocorre tanto mental quanto fisicamente, nos permite ir muito além dos limites comuns do cansaço para então obter acesso a reservatórios de energia que jamais imaginaríamos ter dentro de nós. Isso torna evidente o fato de que armazenamos reservas de energia das quais não estamos acostumados a utilizar e que essas reservas somente serão consumidas se exigirmos o máximo de nós mesmos.

São poucas as pessoas que geram demandas elevadas de si mesmas. A maioria das pessoas deixa de realizar grandes feitos - e de obter a satisfação e os frutos da realização desses feitos - simplesmente porque param de trabalhar, reclamando no primeiro sinal de cansaço.

Me lembro de um domingo em que eu precisava escrever 10 programas de rádio, todos para o dia seguinte. Eu comecei às 9 horas da manhã e quando eram 5 horas da tarde eu estava exausto. Eu mal conseguia pensar e ainda faltavam 5 programas para escrever, mesmo assim eu continuei.

De repente comecei a me sentir melhor e com mais energia ainda do que eu tinha antes de começar a escrever os programas. Quando o relógio marcou 1:30 da manhã do dia seguinte eu tinha finalmente terminado tudo e estava me sentindo ótimo.

Após 16 horas e meia de intenso trabalho mental eu estava tão disposto como se tivesse acabado de acordar! Mas a vontade que tinha me dado antes era de parar quando eu já estava trabalhando havia 7 ou 8 horas.

Portanto, na próxima vez que você se sentir cansado e estiver fazendo alguma coisa importante, não pare, continue fazendo e você verá o que irá acontecer. Todos nós temos um segundo fôlego, seja ele mental ou físico. Atravessar a barreira da cansaço para obter acesso ao nosso reservatório ocioso de energia pode significar a diferença entre sobreviver e realmente viver uma vida de verdade.

Emerson já dizia, "O vigor é contagioso; e seja lá o que for que nos faça pensar ou sentir que somos mais fortes, contribui para nosso potencial e amplia nosso campo de ação."

Por Earl Nightingale (The Dean of Personal Development) - The Essence of Success
Traduzido por Davi Junior

Círculo Liberal | Curitiba | 2017